03/05/2011

Soneto XVII


Te amo sem saber como, nem quando, nem onde,

te amo diretamente sem problemas nem orgulho:

assim te amo porque não sei amar de outra maneira,

senão assim deste modo em que não sou nem és

... tão perto que tua mão sobre meu peito é minha

tão perto que se fecham teus olhos com meu sonho.
 
 
Pablo Neruda
 
E.A <3

Nenhum comentário:

Quantos?