27/10/2010

A culpa é minha

Eu conversava com um amigo sobre nossa turma e as farras que andavam fazendo e perguntei se ele havia ficado com alguém. Ele disse que sim, e eu comentei que há um bom tempo que não fico com alguém e que está bom assim. Bom porque estou namorando (sim, estou) e só desejo os beijos do meu namorado. Se ele não pode estar comigo todos os dias, só me resta esperar.


Aí ele comentou que às vezes dá vontade de me esmurrar. Que eu sou boba. Que eu me entrego rápido e fácil demais e é por isso que sou enganada. 'É que quando o homem sabe que a mulher gosta, apronta'. É a lei. É quase um prêmio: 'nossa, minha namorada é tão louca por mim, vou trair!'.

Pronto, meu dia acabou. Se tem algo que me deixa péssima é lembrar o quanto eu fui feita de otária. O quanto eu investi em nada e fui humilhada. Agora eu tinha um dado inédito: a culpa é minha. Não foi má pontaria, foi burrice de minha parte. Foi burrice eu dizer o quanto ele era especial, foi burrice dar presentes, foi burrice entender quando ele saía com amigos e para onde queria, foi burrice cuidar dele de porre.


Meu ego tava quase lá. Eu. Eu inteligente, eu bonita, eu simpática, eu compreensiva, eu farrista, eu sempre ao lado dele. Ele incapaz de reconhecer. Ele azarado. Não. Eu culpada. Pior: eu apaixonada e feliz, hoje, dizendo a um outro alguém que o amo, ligando, sentindo falta. Talvez errando outra vez. Merecedora de um par de chifres.


Virar essa página poderia ser mais fácil. Espero que ele vá logo embora e que leve junto essa dor.

2 comentários:

Lorena Portela disse...

patibeijo... ele vai embora e vai levar consigo a dor,talvez não seja tão logo... mas vai.

beijocas.

Lina :) disse...

Não.
Discordo, discordo e discordo.
Discordo mais uma vez.
O culpado é ele de ser idiota em não te dar valor.
Nem todos os homens são iguais. E nem todas as mulheres, também.
Nenhum homem quer uma mulher que não demonstre o que sente, ou que se faça de durona demais, indiferente. Aí já não é questão de ser homem. É questão de ser ser humano.
Mulher nenhuma merece par de chifres só porque trata o cara bem.
Tá com vontade de dar um beijo, uma caixa de chocolates, ursos, cartas, afagos? O faça. Sem medo de que ele seja tão imbecil a ponto de pensar em te trair por isso.
Fiquei revoltada.
Levanta esse astral, mulher! Confia em você.
E se por acaso algum retardado te trair ou te enrolar, realiza: ele é que não era suficientemente bom pra você. Ele que ficou tão perdido (que nem criança quando ganha brinquedo novo e finge que detestou, mas escondido até abraça o brinquedo) que não soube demonstrar em retorno.
As coisas não são assim, não.

Quantos?