23/09/2010

vou indo

Acordo cedo e morro de preguiça de me arrumar. Se a aparência cotidiana refletisse o meu estado de espírito era hora de entoar um mantra ou um hino do Fernandinho, para ver se eu melhorava. Mas eu tou bem melhor, eu tou vivendo, eu tou indo. Se tiver uma cervejinha eu me arrumo. Eu, eu, eu. A quanto tempo eu não fazia um post tão egocêntrico? O fato é que todos os meus atos e passos estão interligados ao meu umbigo: uma música que gosto de ouvir, um filme que vi sozinha, um livro que preciso ler, uma foto que não canso de ver, uma sombra preta para matar qualquer um.

Siiiiim, eu reativei o meu poder. Dia desses eu liguei o foda-se e tudo o que fiz foi extremo. Cantei até cobrir o paredão do Pedrinho, dancei até os pés implorarem havaianas, bebi muito. Beijei alguns garotos. Foi um feriado e tanto. Pessoas queridas, minha família, meus amigos. Sem nada que me preocupasse, sem pensar onde ele ia estar, com quem, se tava dançando, o que falava, por onde se metia. Ele quem? Ah, ele. Que foi um dia meu amor. Eu precisava de desculpas para seguir em paz, mas já que não tinha e sobrevivia sem, sem isso fiquei.

~ os meus dias são muito parecidos, casa, trabalho, orkut, cama. Agora, telefone. Agora, uma pessoa que aos poucos se aproxima e ganha espaço. Por enquanto me reservo e escorrego. Se for capaz, ele me ganha.

~² minha inspiração não tá boa hoje, eu sei, mas eu precisava atualizar isso aqui. Saudade pessoas.

Um comentário:

Natália disse...

Saudades de você. beijo

Quantos?