04/07/2010

.fim.

O destino resolveu brincar, juntando dois arianos da mesma semana. Dois impulsivos egoístas. Acreditei na gente, dei minha cara, tudo de mim: meu tempo, meu carinho, meu sentimento mais sincero. Estou aqui toda esfarrapada. Sabia que isso poderia acontecer, mas só queria viver um amor, ser feliz ao lado dele. Pedi demais.

Escrevi que iria até o fim. Não esperava que fosse tão trágico, tão recheado de mentiras. Eu amo alguém que não existe. Que me respeitava, era atencioso, me fazia sentir mais especial e bonita. Eu criei. Eu quis tanto que criei e fiquei cega. Não vi que quem namorava me deixava de lado, beijava outras bocas e se preocupava mais com o que os outros estariam pensando do que com o que eu poderia sentir.

Eu namorei sozinha. Quando ele não dizia que não era meu namorado, dizia que estávamos terminados. Uma, duas, três pessoas me alertaram até que eu liguei o meu radar. Sempre conversava com ele e acreditava no que ele falava, só não entendia porque as pessoas me olhavam como se quisessem me dizer algo. Pensava que elas me invejavam, mas sentiam pena de mim.

Eu agradeci a ele na minha monografia, eu gastei o meu Inglês para contar nossa história, eu escrevi o nome dele na areia, até vestir a camisa do Flamengo eu vesti. Hoje estou com o coração em pedaços e a cara inchada de chorar. Eu queria esquecer, eu queria odiar, motivos sobram. De tanto querer isso, lembro de como era bom receber sms com beijinhos de bom dia, boa tarde, boa noite. De perguntar porque toda vez que ele dizia que me amava.

Se no final do meu relacionamento anterior eu fui indolor, nesse eu tou sentindo todas as dores do mundo e elas não passam nem com um pratão de bifum, nem com um Ovomaltine G, nem com um pacote de crocante, nem lendo Tati Bernardi. Ele me perdeu... mesmo negando, mesmo confessando, mesmo não querendo me perder, mesmo insistindo em dizer que me ama oi?.

Tá dando um trabalhão remover fotos, frases, comunidades, comentários, músicas, vídeos, respostas no forms... como se isso fosse apagar o HD da minha cabeça. Meu HD burro gravou como ele beija bem, como ele fecha os olhos quando ri, como ele odeia quando tiram o boné da cabeça e como ele segurava o meu rosto e me olhava sem fim... teve fim.

5 comentários:

Samara Martins disse...

OOow amigaaaa, não esquece que eu to aquii :D E que eu TE AMOO Muuuuuuuuuuiiiittooooooo ♥

Dani disse...

FORÇA!
Um dia a percevemos que cuidar da gente é a melhor escolha e aí a dor seca e a felicidade dá as caras novamente!

Vai dar tudo certo!

Natália disse...

Chore tudo o que tem que chorar agora, se lamente, escreva quantos textos quiser, mas se ele voltar bata a porta na cara dele. Esquecer, não é tão fácil, mas o tempo ameniza a dor. Bjs e boa sorte!

Bill Falcão disse...

Entendi tudinho! Minha solidariedade!
Bjoo!!

Karen disse...

Eu também disse que iria até o fim. E fui.

Eu também disse que sabia que isso poderia acontecer. E aconteceu.

Eu também só queria viver esse amor. E acabou.

Fiquei arrasada. Chorei litros, fiquei de cara inxada igualzinho você.

Mas eu te digo amiga, EXISTE ALGUMA RAZÃO, tem que existir.

Estamos passando por coisas parecidas... E sei que somos parecidas também, não só no signo e na maneira de ver a vida. Pelo coração.

E o mundo vai girar, o tempo vai passar, e um dia quando a gente se der conta, parou de doer.

E aí a gente levanta, lava o rosto, respira fundo, e compreende. EXISTE ALGUMA RAZÃO.

E algum dia nós vamos entender.

To com você, sempre.
Beijos

Quantos?