14/07/2010

cotidiano ~

Ontem foi o dia internacional do Rock e eu nem dei um pulinho aqui para escrever sobre isso. Passo pelos meus blogs preferidos e não comento. Estou em outro planeta... lendo horóscopo e Martha Medeiros, como se assim saísse do fundo do poço. Alivia, mas não passa. Parafraseando Tati Bernardi, 'quase passa todos os dias, mas nunca passa'.

Tati tem um texto muito bacana* que pouco antes do fim eu li e logo me identifiquei, com os olhos marejados. Eu também o encontrava meio aos afazeres, ele estava lá na minha cabeça, o tempo todo, ainda está. Não está na caixa de e-mails, não está nas sms, não está no meu sorriso, não está no resto. Está, está... tenho uma pastinha escondida, nomeada como dfgh e com algumas fotos e músicas, confesso.

Os outros estão aí. Meio aos preparativos finais para a formatura meus amigos se trancam nas salas de estudo ou se mandam para os bares da vida. Ah! Estou trabalhando, verdade. De vez enquando saio com eles também, verdade. Verdade que eu ouvi With or without you do U2 no Docentes e comecei a chorar. Quase passa.

Não vem me chamar de idiota e me dizer que eu deveria estar fazendo mil outras coisas ao invés de pensar nele. Pensa o que, que tou escolhendo isso? Quero mais é sangrar, não quero sufocar a dor. Vai passar, vai passar. Só preciso de mais chocolate e organização. Organização? Eu nunca soube separar as coisas. Dividia os olhos entre a aula de Seguridade Social e a foto dele no meu mp4.

Tati, Tati... você não é a única que se sente uma tola por pensar e sentir o que sente. Ainda sente ou já passou?

P.s.: Provavelmente eu estou aqui resmungando com um nó na garganta e ele esteja se divertindo com amigos, ouvindo um som e nem se lembre que se estivéssemos juntos fariam 6 meses amanhã. Que seja. A vida é dele, ele faz o que quer, escolhe quem quer.


* E eu escrevo um parágrafo e corro pra ver se tem e-mail. E eu escrevo uma linha e corro pra ver se tem mensagem de texto. E eu não escrevo nada e também não corro, apenas deixo você chegar aqui do meu lado, em pensamento. E me pego sorrindo, sozinha. E me pego nem aí para todo o resto. Mas sabe o que acontece enquanto isso? Enquanto eu não me movo porque estou lotada de você e me mover pesa demais? O mundo acontece. O mundo gira. As pessoas importantes assinam contratos, ganham dinheiro. As pessoas simples lutam por um lugar na condução, um lugar no mundo. Estão todos lutando. Estão todos ganhando dinheiro. Estão todos fazendo algo mais importante e mais maduro do que suspirar como uma idiota e só pensar em você. Eu tenho muita inveja dessas pessoas maravilhosas, adultas, evoluídas e espertas que conseguem separar a hora de ir a uma reunião de condomínio com a hora de desejar alguém na escada do condomínio. A hora de marcar o dentista com a hora de engolir alguém. A hora de procurar a palavra "macambúzio" no dicionário com a hora de se perder com as suas palavras que de tão simples parecem complexas. A hora de ser inteira e a hora de catar meus pedaços pelo mundo enquanto você dá sinais desmembrados. Eu não consigo nada disso, eu me embanano toda, misturo tudo, bagunço tudo. A minha única dúvida é se sou a única idiota a fazer isso comigo ou se sou a única idiota a admitir que faço isso comigo.

Um comentário:

Karen disse...

Vide comentário no post anterior!
Beijos s2

Quantos?