14/09/2009

Não pretendo ser a dona da razão quando ela de fato não é minha. É fácil admitir meus erros. Não preciso ser rude quando o que tenho para falar é simples (nem quando é complicado, difícil é manter a calma, rs). Odeio pessoas prepotentes e concordo quando Alexandre Dumas diz que a verdadeira grandeza é a que não depende da humilhação dos outros. Acredito nas pessoas e na tal da segunda (terceira, quarta...) chance. Vejo também o reflexo dos meus defeitos. Prefiro a brisa ao ar refrigerado, tenho medo de dirigir e odeio mendigar tempo. Gosto de independer dos outros em certas coisas e o meu estilo é basicão, casual. Sou carinho, tento compreender, deixo que escolham o melhor sabonete, me calo quando me ofendem (não deveria né?) e escuto até quando (e o que) não quero só por educação. Os erros alheios, procuro não repetir. Não falo de cima, mas de frente. Tou aprendendo a me pôr, a me impor... nunca. Penso que o mundo é dos persistentes. Mudei. Já não 'me conto' tão fácil. Tenho cuidados para quem precisa. O melhor caminho é o do meu coração, mesmo que eu tropece, caia... Não vou onde todos vão, nem quero ir onde todos indicam. Sabe, tou mais otimista. Aceito opinião diversa. E sei que apesar deste manto grosso de virtudes sou humana, estourada, egoísta e cheia de vontades.

O texto de Artur da Távola era sobre uma outra pessoa.

18 comentários:

Déia disse...

Fantástico esse texto. Obrigada por compartilhar!
bj

Caroline Barreto disse...

Oi Paty (intima ja ne?) rsrs, fazer o que gosto de rapidez e objetividade, haha... Nossa, amei o texto, simplismente... Tudo!!!
Td q eu acho, td q eu penso, td q eu faço ou até msm deveria fazer, td q eu sinto, enfim... Me identifiquei com ele....
Como dito a cima... Obrigada por compartilhar :)
bjinhus

Priz disse...

Adorei o texto, super realista, foi quase como olhar no espelho!
E aí, já chegou seu perfume novo, U da Avon? É bom?
Ele é parecido com algum perfume, sei lá, algum da natura por exemplo?
Beiiijos
ótima semana

Bill Falcão disse...

Foi uma grande jogada sua, Pat! Ficou mesmo muito bom!
Bjooooooo!!!!!!!!

Cadinho RoCo disse...

Somos sempre muitas coisas em uma só.
Cadinho RoCo

ma! =) disse...

Muito bom, adorei!

Terceira, quarta chance? Já fiz isso, uma vez. Mas acredito que segundas chances são necessárias, mais que isso é exagero.
E se calar quando é ofendido, não costuma ser muito bom. Beijos.

A n i n h a a disse...

Ai que texto delícia, gostei *-*

mas uma coisa que não vale é ficar calada quando alguém nos ofende.
Eu já fui assim, mas aprendia me impor. Impor mesmo, porque só se "pondo" as pessoas continuam abusando...

beijos lindona :*

Natália disse...

Graaande reflexão. beijos

Dani disse...

Ah, que texto mais lindo!
Adorei!

Laah... disse...

ooii... tem meme no meu blog pra vc!!! xero!!

Tamara disse...

eu tb tô tentando o meu melhor, mas ainda perdo a razão quando, para se mostrarem superiores, gritam comigo. argh!

Loh_rayne disse...

O texto é perfeito :*

Lolla disse...

posso entrar?gostei do blog. posso fazer parte dele? agurado resposta bjuussss

Grazzi Evans disse...

Adoreeei o seu texto!

Natália disse...

Esperando maaaais. beijos

Bruna Bianconi disse...

Que texto maravilhoso,cheia de talento você menina, passarei aqui mais vezes :*

Vivi Tufαni disse...

Lindo texto ! As experiências da vida nos deixam mais maduros...e é bom ver que vc se tornou uma pessoa mais otimista, significa que essas experiências e mudanças estão te levando pro caminho certo !

:) Beijos

Auíri Au disse...

Será um espelho?
Beijos

Quantos?